sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

O eterno ou o não dá...

Ser uma pessoa inteira dói! E o amor bagunça até os inteiros.


Sim, eu sinto. Mas sinto mais que todo mundo, entrego mais que os outros têm. 
Sim, eu sou uma pessoa inteira; oito ou oitenta; tudo ou nada; agora ou nunca... uma pessoa cem porcento, para o bom e para o mal. Sim é sim! Não é não! Nunca mais é nunca mais! Para sempre é para sempre! E minha ótima memória não me deixa esquecer as promessas.
É claro que algumas foram feitas pelo calor do momento, empolgação, entrega; até porque, pessoas inteiras se entregam de cabeça em todos os momentos. Momentos não são situações passageiras para pessoas inteiras. Momentos são eternos e, quanto mais especiais, mais inteiro, mais infinito ele se torna.

Pessoas inteiras não são efêmeras. Pessoas inteiras se doam, se doem, se derretem, se despedaçam, se reerguem de uma vez e não olham mais para trás. Pessoas inteiras são inteiras no começo e no fim. São verdadeiras; verdadeiros vasos de vidro nas mãos de pessoas descuidadas; verdadeiras muralhas nas próprias mãos. 
Sim, nós inteiros nos doamos e vamos parar em mãos erradas, momentâneas, diferentes... em mãos de verdadeiros artistas que são capazes de nos remontar. 
Pessoas inteiras são aquelas que seguem o coração e acreditam mais que as outras pessoas. Não sabemos o que estamos fazendo, só sabemos que é isso que a gente quer fazer. E a gente faz!

O inteiro se entrega e se retira inteiramente. Não finge e não deixa nada para trás. Quando começa, é para sempre, assim como quando acaba. O inteiro não volta, ele persiste até não dar mais; ou até se perder demais. Porque o inteiro é inteiro dele por mais que seja inteiro de outros.

Como sabiamente disse Marcelo Camelo na música Janta, ao amor dos inteiros "caberá o eterno ou o não dá". O agora é eterno e a eternidade é agora. E se acabar amanha, vai doer para sempre por algum tempo e depois, inteiramente, a dor vai passar e seremos inteiros de outras pessoas pela metade.
Pessoas metade são as mãos erradas que os olhos dos inteiros, por serem tão fiéis e verdadeiros aos seus sentimentos, não enxergam ser metades. Pessoas metades não dividem os inteiros, elas apenas os quebram por um tempo.

Inteiros acham o amor da vida várias vezes na vida. Inteiros sofrem mais do que já sofreram antes, várias vezes também. Inteiros são inteiros. Inteiros não se arrependem porque seguiram o coração. Inteiros amam! E conhecem vários tipos de amor. E a sinceridade, conosco e com os outros, é a nossa maior qualidade. Uma pessoa inteira nunca vai querer deixar de ser inteira para ser metade. 

O que acontece quando uma pessoa inteira encontra outra pessoa inteira? Eu não sei, nunca tive essa sorte. Mas inteiramente acredito que terei. Os inteiros se encontram quando de cansam das metades.


"Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá (...)
Caberá ao nosso amor o que há de vir (...)
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

KIRIDA VENK | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS