domingo, 29 de janeiro de 2017

Carta aberta àquele que um dia foi importante.

Sei que há muito nem se lembra que eu existo, mas quero que saiba que pensei em você essa noite.
A última vez que isso aconteceu, fui olhar seu facebook. Fiz o mesmo hoje e percebi que fui totalmente excluída da sua vida. Não que isso faça alguma diferença, é só que não deveria ser o contrário? Afinal, não fui eu que errei, não sou eu que mereço a repressão e o esquecimento.

Sabe, querido, achei que nunca mais, nem em um milhão de anos, escreveria para você de novo. E, de verdade, não tenho tantos motivos assim. Depois de todos os calos que ganhei vivendo sobre você, minha esperança era que, um dia, eu esquecesse até o seu nome (o que é difícil, considerando que é um nome comum).Mas, incrível que pareça, hoje faço questão de lembrar você. Sou muito grata a você por tudo que me ensinou. 

Já parou pra pensar que vai fazer um ano? Provavelmente não. Em compensação, estou pensando nisso agora. Dez meses, para ser mais exata. Se eu pensar o que foram esses dez meses, dá para escrever o novo best seller baseado em dramas da vida real.

Há um ano, eu estava ouvindo algumas desculpas que eu me forçava a acreditar por achar que depois as coisas seriam diferentes. Agora, estou tentando entender quão errada eu fui para não receber nem o mínimo de consideração. Você se tornou um padrão do que quero e do que não quero para a minha vida. Não desejo nem pra você o que você me fez passar. Ainda bem que o tempo passa.

Mas tudo bem, não estou aqui para isso. Na verdade, eu só quero mesmo é te dizer obrigada. Obrigada por ter passado pela minha vida, obrigada por ter me ensinado tantas coisas, obrigada por me mostrar que o tempo passa, obrigada por me fazer entender que as pessoas mentem mesmo e sustentam a mentira até o fim. Obrigada por me fazer sentir importante quando eu precisei (mesmo que fosse só fingimentos pra me fazer parar de falar). Obrigada! Cresci com você e pelo que você me causou. 

Aqui, a última.

2 comentários:

  1. Todo relacionamento nos acrescenta algo. Fico feliz que tenha conseguido enxergar isso, mas triste por ter que enxergar.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Lary, mas acontece né. Tudo na vida faz a gente crescer. A parte triste já passou :)

      Excluir

KIRIDA VENK | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
COMPRE AQUI O LAYOUT QUE SEU BLOG MERECEBILLION DOLLAR LAYOUTS